segunda-feira, 27 de setembro de 2010

Mais um ano... Mais um ano...



Mais um ano terminou
Dentro do meu coração…
Mais um ano findou
Cinquenta e seis já lá vão…
Mais um ano se passou
De sofrimento e paixão…
Mais um ano aqui estou
A sentir a solidão…
Mais um ano que ficou
Sem nenhuma recordação…
Mais um ano se cruzou
No meio da multidão…
Mais um ano me magoou
Sem ter muita razão…
Mais uma ano…Mais um ano…

2 comentários:

Desnuda disse...

Amigo Farol,

“Tão bom morrer de amor e continuar vivendo”. Mário Quintana


Não vivemos sem paixão seja por um amor, seja pela natureza, família, etc etc. Todas estas paixões são o animus da vida. Viver sem paixão não é viver a vida plenamente. É passar pela vida, somente. Precisamos de paixões, esperança e renovação. O amor pode ser eterno, mas passível e possível de renovação, assim como as paixões. Precisamos de sonhos, dar asas a imaginação. O nosso coração deve manter-se vivo com a chama do amor e das paixões. Quando sobrevivemos a um término por algum motivo de um “ para sempre”, devemos buscar novamente este estado até o fim da nossa existência terrena para que não vivamos como mortos, entre os vivos. Os anos que vivemos não são imunes de mágoas, tristezas, tragédias e toda a gama de sofrimentos físicos, morais e espirituais. Pois é desta forma que aprendemos um pouco da vida e passamos a valorizar o bom, as alegrias e momentos felizes perpetuados em nossa memória. Não faça da solidão uma companheira de vida. Há tanta vida lá fora! Tanto amor para dar e receber! Há tantos que precisam de você e do seu amor. Olhe para fora de você e veja toda a beleza do universo de braços abertos para voce. Felicidades.


Carinhoso beijo.

Rodrigo Passos disse...

lindo!